Imagem
Foto/Imagem

Pitacos da Bola, com Eduardo Luiz

Primeiro Tempo Impecável...

Olá amigos internautas que prestigiam o aplicativo Alberto César. Tive a curiosidade e o faro de jornalista do interior de São Paulo – e com muito orgulho – de acompanhar a repercussão da mídia paulistana sobre a primeira partida da semifinal do Campeonato Paulista, o belo jogo protagonizado pela Ponte Preta, que venceu com autoridade contra tudo e todos, o melhor elenco do Brasil por 3 a 0, com todos os gols ainda na primeira etapa.

E alguns pontos de vista chamaram a atenção. A Ponte Preta, pelo menos em boa maioria de comentaristas da capital, hoje vive um outro patamar, em comparação as demais equipes do interior de São Paulo. Por disputar e bem seguidas edições do Campeonato Brasileiro, ter realizado uma grande Copa Sul-Americana em 2013 e ter reconhecidamente uma torcida que faz a diferença, tem sido muito mais respeitada do que em outras épocas, até recentes.

Um comentarista de São Paulo – até em tom de deboche – disse que a Macaca realizou o maior primeiro tempo de sua história ao fazer com totais méritos e facilidades 3 a 0 pra cima do Palmeiras. A princípio encarei a “informação opinativa” como deboche, mas depois, pensando friamente, foi realmente um primeiro tempo formidável, impecável, com atuação até bonita plasticamente de ver, jogadas com toques de primeira e refinados e atuação de time que briga pelo menos por vaga em Libertadores no Brasileirão. Longe de dizer que foi o melhor primeiro tempo da história da Ponte Preta, até porque essa história é centenária, mas foi realmente em altíssimo nível e de encher os olhos dos amantes do futebol.

Na segunda etapa, não poderia ser diferente, a equipe do técnico Gilson Kleina, de forma muito inteligente e competente, se preocupou mais com a manutenção do que propriamente com a ampliação do placar e também atingiu seu objetivo, sem o mesmo glamour da primeira etapa. Mesmo sem a mesma intensidade, mas com igual dedicação, ainda ficou mais próxima de fazer o quarto gol do que de levar o primeiro e teve um pênalti claríssimo de Fernando Prass em cima de William Pottker, ignorado pela arbitragem.

Mas calma torcedor com qualquer clima de euforia. A decisão está 3 a 0 para a Macaca, mas muito longe de ser colocada como definitiva. O Palmeiras tem ainda o melhor elenco do Brasil e para o jogo da volta no Allianz Parque estará muito mais descansado, lembrando da verdadeira batalha que teve contra o Peñarol antes do primeiro jogo contra a Ponte Preta. Mesmo assim, o favoritismo para a vaga mudou de lado, mudou de cor, a Ponte deixou de ser coadjuvante na disputa para ter a obrigação de agora garantir a vaga para a final, assim como o Corinthians no duelo diante do São Paulo, outro time com a faca e o queijo na mão para reeditar junto com a alvinegra de Campinas, uma final especial de Paulistão, após 40 anos.

Para finalizar, o Guarani na Série A-2 também terá uma grande decisão no final de semana, sabendo que precisa vencer o Batatais fora de casa para se garantir nas semifinais da competição. Se empatar terá que torcer muito e se for derrotado precisará de um milagre, mas acredito na classificação bugrina para a próxima fase dessa emocionante disputa, em que ninguém é melhor que ninguém! Um abraço e até a semana que vem, com mais Pitacos da Bola.

Imagem

Compartilhar esta notícia

Notícias Relacionadas

0 comentário(s)

Faça o seu login ou cadastre-se para comentar!